A regra 10-20-30 para boas apresentações

Todo mundo já teve que criar uma apresentação, para os mais diversos fins. Seja no trabalho, na faculdade, num encontro com investidores, temos certeza que você já precisou lidar com o PowerPoint ou com alguma outra ferramenta de criação de slides. Nessa hora, muitas dúvidas surgem. Qual cor uso? E o tamanho da fonte? Será que a apresentação está muito longa? A gente nunca tem certeza sobre nada disso.

Guy Kawasaki é um dos maiores especialistas do mundo na área de Tecnologia e Marketing. É também um grande mestre das apresentações, com seus estudos e teorias. Hoje, ele participa do conselho da própria Apple, é palestrante, autor de livros e membro de um fundo de investimento nos Estados Unidos.

Justamente por ser membro de um fundo de investimentos, Guy Kawasaki já ouviu centenas de empreendedores apresentando suas ideias de negócio. E por ver tantas apresentações, o engenheiro criou a famosa Regra 10-20-30. 

Guy Kawasaki

Conseguir a atenção do público do início ao fim é um desafio complicado. E isso pode ser explicado por diversos motivos: a apresentação é muito longa, os slides estão entupidos de textos que nem dá tempo de ler, as imagens não acompanham a fala do apresentador… A regra do Guy pode te ajudar na hora de resolver tudo isso e botar ordem na casa.

O nome da regra antecipa seu conteúdo. Cada número corresponde a um problema a ser resolvido:

  • Número de slides

É muito cansativo assistir a apresentações lotadas de slides. O público desiste de ler em certo momento. Nosso cérebro tem dificuldade em armazenar certas informações que estamos lendo e outras que estamos ouvindo, se isso estiver sendo feito ao mesmo tempo, então a apresentação deixa de ser efetiva.

Além disso, se a sua apresentação tem tantas telas, a sua fala provavelmente não está acompanhando o conteúdo mostrado. Então, se ela ainda estiver lendo, a pessoa provavelmente será interrompida porque você vai passar o slide adiante. E você sabe como isso é frustrante, né? A plateia acaba perdendo de vez o interesse.

Pensando em todos esses problemas, Guy chegou a uma conclusão: o número ideal de slides é 10. Pensando numa estrutura em que você utiliza o primeiro slide para introdução e o último para conclusão e dúvidas, restam então 8 slides para você dispor seu conteúdo.

A explicação para isso, segundo Guy, é que um ser humano não consegue compreender mais de 10 conceitos em uma mesma reunião. Então, tendo em cada slide um conceito, é possível que todos eles sejam absorvidos e entendidos plenamente. Mais do que isso, as ideias começam a ficar confusas e desconexas.

  • Tempo de apresentação

Tendo os seus 10 slides organizados, o tempo ideal de apresentação é de 20 minutos. Se você tiver menos tempo para apresentar, não há muito a ser feito – você tem que utilizar o tempo disponível.

Entretanto, quando as apresentações podem ter mais de 20 minutos, como no caso daqueles encontros de uma hora, é ideal manter os 20 minutos de apresentação, deixando o tempo restante para discussões e questões. Essa é a forma ideal de engajar o público, pois mesmo que você tenha uma hora para falar, em algum momento, as pessoas se cansam. Fazer com que elas participem resolve esse problema.

  • Tamanho da fonte

Outro problema bastante comum, que dificulta na concentração, é o tamanho da fonte utilizada no slide. Muitas vezes, elas são pequenas demais, atrapalhando a leitura. As pessoas costumam usar as fontes pequenas para que caiba mais conteúdo no slide e, com isso, acabam errando duas vezes: uma quando deixam o texto ilegível e outra quando sobrecarregam a tela de conteúdos.

Segundo os estudos de Guy Kawasaki, o tamanho ideal para a fonte é de 30 pontos. Você deve colocar no slide apenas as ideias principais e deixar a explicação e o desenrolar da problemática para a linguagem oral. Quando você escreve tudo que vai falar, as pessoas deixam de prestar atenção no que você tem a dizer, afinal, está tudo escrito e elas podem ler sozinhas.

A partir do momento que você não tem espaço para escrever tudo aquilo que vai falar, você é obrigado a estudar de verdade o conteúdo. E isso não é algo ruim, pelo contrário: quanto mais você souber sobre o tema que vai apresentar, mais confortável você fica para construir junto com o público, abrindo para perguntas.

Então aqui fica a lição:

10 slides – 20 minutos – tamanho 30

Essas três características descrevem a regra de Guy Kawasaki, que embora seja bastante simples, dá um bom direcionamento para que se crie apresentações concisas e de qualidade.

Você não precisa seguir tudo à risca. A grande lição aqui é que você seja sucinto quanto ao número de slides, não se estenda por muito tempo e se atenha ao tamanho da fonte utilizada.

Guy Kawasaki apresentou essa regra em seu livro “A arte do começo”. Veja o vídeo em que ele conta da sua regra, a partir do minuto 24:30:

Fonte: https://descola.org/drops/regra-10-20-30/

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s